Diálise e hemodiálise pediátrica

dialise-e-hemodialise-pediatrica

Crianças também podem precisar de tratamento de diálise e hemodiálise pediátrica. Apesar de ser algo mais raro, a doença renal crônica (DRC) também é diagnosticada nos pequenos e quanto mais precoce for o diagnóstico, maiores são as chances de evitar complicações devido à evolução da doença renal.

Neste artigo, vamos discorrer sobre os sinais de alerta que indicam a possibilidade de insuficiência renal infantil e trataremos também sobre as condições específicas dos tratamentos de diálise e hemodiálise pediátrica. Continue lendo e saiba mais!

 

Diálise e hemodiálise pediátrica: afinal, quando esses tratamentos são necessários?

 

Quando diagnosticada precocemente, a doença renal  infantil pode ser controlada com medicamentos. No entanto, caso a insuficiência renal esteja em fase avançada,  os médicos podem recomendar sessões de diálise, hemodiálise e até mesmo transplantes renais.

Segundo a  Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), a doença renal crônica é caracterizada por lesões renais e/ou perdas nas funções dos rins. A doença ainda é classificada conforme a gravidade por estágios que variam de 1 a 5 conforme a intensidade da insuficiência renal e dos sintomas decorrentes dessa condição.

No primeiro estágio, a taxa de filtração glomerular — que tem por finalidade a eliminação dos resíduos presentes no sangue  — é considerada normal, mesmo quando há evidências da doença renal. Já o quinto estágio corresponde ao momento mais crítico da doença renal, onde a perda das funções renais é suficiente para serem feitas terapias de substituição renal (TSR).

Leia também Hemodiálise: saiba como funciona o tratamento!

 

Causas das doenças renais em crianças

 

Os motivos que levam à insuficiência renal infantil variam conforme a idade. Em crianças com menos de 5 anos, são  exemplos de causas: prematuridade, malformações congênitas no coração ou  no trato urinário, alterações renais no sistema urinário, entre outras.

Na idade escolar, problemas com uropatia obstrutiva que bloqueiam o fluxo urinário, sequelas causadas por enfermidades sistêmicas como o lúpus e histórico de doenças renais hereditárias podem influenciar a ocorrência de doenças renais crônicas. Existem alguns sintomas que podem estar associados às doenças renais como: 

  • Infecção urinária recorrente.
  • Hipertensão;
  • Sangue na urina;
  • Inchaços no corpo;
  • Dificuldade de ganhar peso e crescer.

Também é possível que a criança esteja doente e assintomática e apresente sinais de que algo está errado somente quando a saúde renal já está comprometida. Por isso, é muito importante que exames de rotina sejam feitos regularmente e que hábitos saudáveis sejam incorporados à vida da criança desde cedo para prevenir a doença renal.

 

O tratamento de diálise e hemodiálise pediátrica

 

Assim como os adultos precisam reservar um tempo para as sessões semanais de diálise ou hemodiálise, as crianças também passam por 4 sessões semanais,  sendo que cada sessão dura, em média, 2 horas por dia. 

A presença de uma equipe multidisciplinar é uma característica do tratamento renal pediátrico. Todos os procedimentos de diálise e hemodiálise que englobam a faixa etária de 0 a 12 anos devem ser acompanhados obrigatoriamente por um médico (a) nefrologista pediátrico conforme determina a portaria n.º 389 do Ministério da Saúde.

Além do médico (a), é necessário que o paciente seja atendido por uma equipe composta por profissionais da enfermagem, nutrição, psicologia, assistência social e farmácia. Com esse acompanhamento especializado, as chances de adiar a progressão da doença e prevenir outras doenças que dificultam o desenvolvimento das crianças são melhores.

Para que as sessões de hemodiálise ou diálise pediátrica sejam realizadas, os equipamentos são totalmente adaptados conforme o tamanho do paciente. É por isso que existem dispositivos específicos para que o sangue seja filtrado no dialisador e que as impurezas e toxinas sejam eliminadas.

Dicas para apoiar uma criança que faz diálise e hemodiálise 

Para os adultos que fazem hemodiálise ou diálise a rotina é cansativa, para as crianças os desafios podem ser ainda maiores. Como os pais ou responsáveis dos pequenos que passam por essa situação precisam acompanhar as sessões, eles acabam sendo a maior fonte de apoio para as crianças.

Se você é pai, mãe ou conhece alguém que precisa de ajuda para apoiar uma criança no tratamento, preste atenção nas dicas que selecionamos a partir de uma lista feita pela National Kidney Foundation, — ou, em português, Fundação Nacional dos Rins dos EUA. Confira!

  1. Busque informações sobre a doença renal e converse com a criança sobre o assunto

O acesso à informação confiável e de qualidade é fundamental para entender sobre a doença renal crônica e responder às dúvidas do seu filho (a). É muito importante que a criança se sinta acolhida e segura para tirar dúvidas e compreender como o tratamento renal vai ajudá-la a ter mais qualidade de vida. Na prática, conhecer mais sobre o diagnóstico é um caminho para desconstruir os mitos, aceitar e seguir com o tratamento de maneira mais tranquila.

 

  1. Ajude a  criança a criar uma rotina

O tempo destinado ao tratamento renal em um hospital é significativo, mas, na medida do possível, é importante incentivar a criança a ter uma rotina em que possa realizar outras atividades mesmo durante as sessões.

 

  1. Incentive a criança a desenvolver hábitos saudáveis

É importante que a criança entenda que quando os rins estão doentes, há restrições alimentares e cuidados que devem ser redobrados para reduzir os danos.

Por isso, estimule a criança a tomar água e reduzir o consumo de sal e de alimentos industrializados. É imprescindível que você também mantenha uma rotina saudável para que isso sirva de exemplo na hora de explicar o quanto isso é importante para a saúde renal.

 

  1. Incentive seu filho (a) a fazer perguntas sobre o tratamento

Quanto mais a criança entender sobre a importância da hemodiálise ou diálise na manutenção da sua qualidade de vida, a tendência é que a adesão ao tratamento seja melhor!

Em relação à dieta necessária, você pode incentivá-la  a listar as comidas que mais gosta e perguntar ao profissional de nutrição o que pode ou não comer. Outra postura interessante é conversar com os profissionais e solicitar uma explicação sobre, como a  hemodiálise faz a diferença no caso dela.

 

  1. Busque apoio psicológico

O apoio de um profissional especializado em psicologia é essencial para lidar com as múltiplas emoções de viver com uma doença renal crônica ou acompanhar crianças que precisam de um tratamento tão intenso para continuar vivendo bem. Por isso, não hesite em buscar essa ajuda profissional para acolher as próprias emoções e manter o bem-estar para continuar ajudando quem mais precisa de você. O apoio psicológico é tão importante para a família quanto para o paciente. Fica a dica!

 

  1. Compartilhe suas experiências com outras famílias que passam pelo mesmo

A descoberta de uma doença renal crônica em um membro da família, pode trazer muitos impactos no dia a dia e no emocional do paciente e dos seus familiares.

Compartilhar suas experiências com outras famílias e buscar grupos de apoio é uma ação que pode trazer muitos benefícios em relação à aceitação da doença renal e, de quebra, ainda pode ser um caminho para se fortalecer, criar uma rede de apoio segura e transmitir a segurança que pequeno (a) precisa para seguir o tratamento.

 

  1. Mostre o lado bom do tratamento

Quando uma criança precisa passar por hospitalizações ou ir aos hospitais com frequência para realizar tratamentos como a hemodiálise, é natural que haja alterações de comportamento e desânimo pelo fato de a criança ter a vida adaptada por essa condição. Por mais difícil que seja, mostre  para a criança o lado bom do tratamento e explique sobre como as sessões ajudam os rins a funcionarem e elevam a qualidade de vida e permitem que ela viva bons momentos ao lado da família e dos amigos.

 

Conheça a missão da Allmed Group Brasil

 

A Allmed Group Brasil tem como missão melhorar o bem-estar e a saúde dos pacientes em tratamento com hemodiálise e diálise. É por isso que a Allmed leva a sério o compromisso de fabricar produtos de alta qualidade, inovação e performance, pensando na melhor entrega para os pacientes que dependem dos tratamentos renais para  viver de forma tranquila e saudável.

Especialmente no caso dos tratamentos renais pediátricos, a Allmed trabalha com linhas arteriais adaptadas para o tratamento de crianças. Distribuímos para todo o Brasil as linhas  de Sangue Pediátricas e Neonatal.

Dentre os modelos temos as seguintes linhas:

Para atender às demandas de hemodiálise em bebês, se destacam produtos como:

Dialisador PS100  de Alta Performance , baixo fluxo usado para diálise pediátrica e neonatal,  projetado com membrana de polisulfona pediátrico. Ou seja: é um produto que garante maior conforto para os pacientes e ainda proporcionam mais eficácia no processo de filtragem e depuração das toxinas no sangue.

 

dialisador capilar allmed pediatrico 1.0

 

 

Todos os produtos da Allmed são certificados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e são cuidadosamente fabricados para proporcionar conforto, segurança e eficácia terapêutica a cada sessão realizada.

Leia também Tipos e vantagens dos dialisadores Allmed

 

Quer saber mais sobre os produtos da Allmed? Fale com nossa equipe!  Teremos imenso prazer em atendê-los.

Obrigado e até o próximo post!

 

 

Compartilhe