Saúde renal e alimentação: entenda essa relação!

Saúde renal e alimentação:entenda essa relação!

A importância de uma alimentação equilibrada para a saúde renal de pessoas que fazem hemodiálise é um desafio diário. Criar e perdurar hábitos alimentares saudáveis faz toda a diferença na vida de pacientes com doença renal crônica (DRC). Portanto, uma  dieta saudável, rica em alimentos de baixa gordura é imprescindível para a vida diária de um paciente renal.

Você sabia que os rins são órgãos vitais para o organismo humano! Sim, eles filtram o sangue, ajudam a eliminar toxinas do corpo, controlam a pressão arterial, produzem hormônios, previnem doenças e atuam no equilíbrio de substâncias que fazem parte do corpo como pH sanguíneo, magnésio, fósforo, potássio, bicarbonato, entre outras.

Quando os rins perdem essas funções e o paciente renal precisa de hemodiálise para viver, entra em ação o dialisador, que  cumpre as funções renais como um rim artificial. No entanto, é preciso continuar mantendo uma série de cuidados para evitar a evolução da insuficiência renal e manter a saúde, dentre elas a saúde alimentar.

Neste artigo, vamos abordar algumas dicas que você precisa saber sobre o assunto!

Hemodiálise e saúde renal: alimentos para evitar

Um rim doente deixa de eliminar substâncias tóxicas para o organismo e isso inclui restos de comida. Dessa forma, doenças como diabete e hipertensão podem somar-se à insuficiência renal da pessoa comprometendo não somente a saúde renal, mas a saúde de forma geral.

Manter uma alimentação adequada é o primeiro passo para evitar a progressão da doença renal e as complicações que podem surgir neste cenário. Segundo a Sociedade brasileira de Nefrologia (SBN), é importante evitar alimentos gordurosos, industrializados e com conservantes. São exemplos:

  • Queijos;
  • Embutidos (salsicha, mortadela, presunto, salame);
  • Chocolate;
  • Refrigerantes;
  • Cervejas;
  • Frutos-do-mar;
  • Sardinha, atum, bacalhau e salmão;
  • Gema de ovo.

Além dessas restrições, é importante para o paciente que faz hemodiálise evite alimentos que contenham muito sódio e potássio. O açúcar em excesso também deve ser cortado, assim como alimentos processados no estilo fast food. Também é importante reduzir as quantidades de sal na comida e fazer um controle da ingestão de líquidos.

No caso da quantidade de água e outras bebidas, uma alternativa interessante para fazer esse controle é usar copos e garrafas que tenham a marcação de medidas. Esse controle é importante para evitar complicações ou sobrecarga das funções renais já que o consumo em excesso (conforme a prescrição médica) pode fazer com que a pessoa sofra com mais inchaços e com a evolução da doença renal.

De forma geral, esses cuidados são extremamente necessários porque quando os rins deixam de funcionar, essas substâncias acumulam no sangue e, consequentemente, geram problemas como inchaço, fraqueza, cansaço excessivo, redução da urina, entre outros.

Mas afinal, como montar uma dieta alimentar adequada para o paciente renal?

 

Para ter uma dieta equilibrada e saudável, é imprescindível agendar uma consulta com um profissional de nutrição. Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia, o acompanhamento é obrigatório para pacientes que fazem tratamento em hemodiálise, e tenham uma taxa de filtração glomerular — indicador que revela a filtração das substâncias do organismo e permite avaliar a função renal—  menor que 60 ml/minuto.

Além de seguir as orientações nutricionais, é indicado que o paciente renal tenha uma tabela com uma lista de alimentos ricos em potássio, sódio e fósforo para consultar sempre que necessário.

A dieta indicada para os casos nos quais a filtração glomerular é mais baixa, é pautada na restrição de proteínas. Ainda há casos em que a recomendação é eliminar os alimentos de origem animal, como ovos e carnes em geral.

Vale ressaltar que dietas precisam ser montadas de forma especializada porque há fatores que influenciam o quadro de cada paciente como: idade, presença de comorbidades como diabete e hipertensão arterial, peso, altura, idade e gravidade da insuficiência renal. Por isso, o primeiro passo efetivo para entender o que funciona ou não é consultar um especialista que irá avaliar as especificidades do planejamento alimentar com base no histórico de doenças, nos exames e na análise das taxas que indicam a gravidade da doença renal crônica.

As especificidades de uma dieta alimentar adequada podem variar conforme a condição do paciente (que faz diálise, hemodiálise ou é transplantando) e a gravidade da doença renal.

Há casos em que os pacientes renais podem apresentar desnutrição de origem proteico-calórica, na realização de sessões de diálise peritoneal ou hemodiálise. Neste caso, a figura do profissional de nutrição é central para evitar a piora do quadro que pode gerar infecções, complicações e outras doenças associadas à insuficiência renal.

Cuidados com saúde renal  e a alimentação em épocas festivas

Com a chegada de épocas festivas como Natal e Ano Novo, muitos pacientes em tratamento de hemodiálise ficam na dúvida sobre até que ponto as restrições alimentares podem ser flexibilizadas. É importantíssimo considerar que nesta época, as sessões de hemodiálise podem ser reduzidas e, consequentemente, o acúmulo de toxinas no sangue aumenta muito, portanto, os cuidados com a saúde renal e a alimentação devem ser redobrados.

O consumo de frutas secas, castanhas e nozes devem ser evitados sem pensar duas vezes. Por mais que esses alimentos sejam os queridinhos de festas comemorativas, eles são ricos em potássio. Também é importante que o paciente não consuma alimentos industrializados e evite panetones e sobremesas.

Ainda pensando nas frutas,  bastante comum nesta época do ano, vale lembrar que a pessoa que faz tratamento de hemodiálise precisa dar preferência para frutas com baixo teor de potássio como: abacaxi, melancia, morango, jabuticaba, pera, pêssego, limão, manga, caju, acerola e banana-maçã.

Frutas com alto teor de potássio devem ser cortadas da dieta, e frutas diferenciadas como a carambola, por exemplo, não podem ser consumidas de modo algum pelo fato da fruta conter uma toxina que só pode ser eliminada pelos rins.

Vantagens da alimentação balanceada para a saúde renal

O acompanhamento nutricional  é indispensável para que os pacientes em tratamento de hemodiálise consigam ter mais qualidade de vida. São muitos os desafios na busca deste equilíbrio nutricional, considerando que os pacientes possuem uma dieta com mais restrições. No entanto, seguir as orientações nutricionais e manter os cuidados com os hábitos alimentares traz uma série de benefícios para a saúde renal.

Listamos alguns alimentos indispensáveis para uma boa saúde renal, confira:

  • Redução de sintomas urêmicos como fadiga, náuseas, alterações no apetite e confusão mental;
  • Melhores condições para retardar a progressão da doença renal crônica;
  • Maior eficácia no tratamento de diálise ou hemodiálise;
  • Mais qualidade de vida para o paciente.

Importante: é preciso criar e manter uma dieta equilibrada que beneficia não somente os pacientes em tratamento de hemodiálise como também as pessoas que querem prevenir os problemas renais.

 

Saúde renal e alimentação no natal

Allmed Group Brasil: referência no cuidado com a saúde renal

Referência em mais de 40 países, a Allmed Group Brasil tem como missão proporcionar os melhores cuidados na saúde renal de pessoas em tratamento de hemodiálise e diálise.

Especializada na fabricação e distribuição de dialisadores e produtos médicos hospitalares, a Allmed trabalha de forma humanizada para entregar conforto, qualidade de vida e tranquilidade para quem mais precisa de apoio para lidar com as doenças renais crônicas.

Leia também→  Hemodiálise: saiba como funciona o tratamento!

Gostou do assunto? Confira outros conteúdos em nosso blog!

Obrigado e até o próximo post.

 

 

 

Compartilhe
1 responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] Leia também → Saúde renal e alimentação: entenda essa relação […]

Os comentários estão fechados.